sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Dona do meu destino. será?

Hoje, eu acordei meia atônita, sabe aquele dia que você acorda
e você tem a plena certeza, que algo de bom vai lhe acontecer.
Eu acordei maravilhada, extasiada, mas ao mesmo tempo,
confusa e pertubada, é, essa palavra veio a calhar, realmente
eu acordei atônita.
 É engraçado, que essa noite eu quase não dormi, talves fosse
por causa do filme que assisti, não era muito bom, mas teve
uma parte do filme, que me chamou atenção, quem sabe nem
tivesse sido o filme, pra falar a verdade a anos que eu não
 acordava assim.
  Sabe quando você, não sente vontade de não fazer nada,
não que isso seja frequente em minha vida, ficar com vontade
 de não fazer nada, mas é quase um luxo, quem me dera, não
fazer nada. Eu que sou a primeira a acordar, e a última a dormir.
A minha rotina é quase sempre igual a todos os dias.
 Mas nem sempre foi assim, sabe aquela história, que você
escolhe o seu destino, pois acredite é a mas pura verdade.
 Talves eu esteja sendo um pouco melodramática, mas quem
é que nunca acordou um dia e fez uma avaliação de toda sua
vida, de toda sua história, das suas vitórias, conquistas, sonhos,
ideais realizados, ou tudo que você deixou de fazer. será que
 seria justo eu colocar numa balança. O que pesaria mas?
sonhos, conquistas, vitórias ou ao contrário.
 Talves seja por isso, que a muito tempo eu não olhe para
mim, e também que eu não tenha tempo para me sentar diante
de um espelho e possa me ver por inteira, que eu possa me
 avaliar. Mas também com isso posso confrontar todos os
meus senrimentos, e resentimentos e produzir uma revolução
em minha vida.
 No momento, não é isso que eu quero, eu só quero conduzir
a minha vida de forma justa, que eu possa ter as rédeas da
minha condução, sem a interferência de ninguem.
 Com tudo, eu acho que preciso, é, de um pouco, de paz no
 espirito que eu possa ouvir a voz da minha consciência, e
que eu possa sentir o meu "Eu" aflorar.
 Sabe, quando você se dá conta que a sua vida, está como
uma bomba relógio, você chega a ouvir o tic-tac, como
 estivesse cobrando de você, uma atitude,uma ação, mas
você está tão incrédula, que não se permite ouvir, seu
 pedido de socorro, implorando por sua atenção, a atenção
que todo santo dia, você ensiste em não se dar.
 Então eu me pergunto, porque? porque falta tempo?
 É claro que eu não seria tão hipócrita, de responder isso,
eu não seria justa comigo mesma, e con tudo, eu não iria
 ser tão imatura a ponto de não admitir que, o que me
falta é simplesmente coragem.
Quem sabe coragem, para ficar diante de um espelho,
e poder olhar dentro dos meus olhos e propor um acordo
quem sabe algo mas sério, como um compromisso, em
que o único propósito é se dar toda a atenção, que por
 falta de coragem nunca me dei.
Agora, todos os dias, quando eu acordar,vou dedicar
para mim toda atenção que eu mereço.
E para começar, vou sair desse meu reduto que por
muito tempo eu me escondi.
Pois, de agora em diante eu serei a soberana da minha
vida,vou firmar o compromisso que eu fiz com meu "Eu"
interior, para que jamais eu volte a ser acomodada e
que em nenhuma circunstância, eu possa entregar os
 pontos ou que minhas experiências pessoais, não
 possam me afligir a ponto de interromper meu
compromisso e me faça desistir de ser a mulher renovada
que sou hoje.
Hoje, eu sei o que é viver, se antes, não tinha tempo
para nada, agora tenho de sobra, organizei minha vida
e a coloquei sobre minhas rédeas, rédeas essas, que eu
 sei manusea-las muito bem.
Se algum dia alguém me falasse, que eu seria essa mulher
 guerreira e determinada que sou hoje, eu não acreditaria.
Antes, não tinha tempo nem para ler um livro, hoje não
me contento enquanto não devora-lo.
Eu me lembro que certa vez, folheando um livro eu li um
parágrafo dizendo que "nós somos a continuidade que
deixamos de ser em outras vidas, não que eu acredite
nisso, pois se eu acreditasse, então eu seria totalmente
contraditória.
Então , refletindo ! Eu não poderia escolher meu próprio
destino, por ele já existir,se eu acreditasse em outras
vidas, não precisaria firmar um compromisso como eu fiz
e talves viveria a vida, que eu sempre vivi.
Não tenho nada contra quem acredita em outras vidas,
mas prefiro acreditar que sou a dona do meu próprio
destino.
Quem eu sou ? Sou apenas mais uma Ana em meio
a tantas.


Autor: Cairê barcelos