segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Da minha janela

Da minha janela, eu vejo tudo, com as cortinas
amarelas, e sua imagem em um quadro na parede
ao fundo.

Da minha janela, eu vejo tudo, com o vento a
sussurrar levemente, as palavras que não foram
digeridas através do tempo, em que perdemos,
com a nossa história,(a nossa suposta história).

Hoje, da minha janela eu vejo tudo, tudo que
foi jogado fora, durante o tempo que perdi,
ouvindo suas falsas juras de amor.
Já não bastasse suportar toda sua ausência,
sufocando meus pensamentos, que insistem
em mostrar uma falsa imagem de você,
declarando toda sua paixão, com esse seu
coração frio e calculista.

Ainda hoje me pego a olhar, a sua imagem
no quadro, na parede ao fundo da sua janela,
quase como um convite, para que meus pró-
prios pensamentos me traem à lembrar, de
momentos vividos nas mentiras, num tempo,
que eu acreditava ser feliz.

Hoje, quando eu vejo o pôr-do-sol, da minha
janela, eu sinto, que ainda a tempo, de viver
uma linda história, "a minha história".



Autor: Cairê barcelos