segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O diário de Kelly - “O valor de uma amizade” - 3ª parte

Hoje quando acordei, senti que seria um novo dia. Sabe quando você sempre esperou por esse dia e quando chega você custa a acreditar que é real. É como eu me sinto, sinto-me vivendo um sonho, mas um sonho vivido na realidade, tão real a ponto de acreditar que é um sonho, de tão perfeita que a realidade se tornou para mim. Na verdade meus sonhos são tão reais, que às vezes chego a confundir sonhos com a realidade. Mas hoje acordei realmente diferente, sentindo que algo especial iria acontecer. Sabe quando você acorda e sente que algo muito especial está para acontecer? É como se o universo estivesse conspirando a seu favor. Neste momento alguém tocou a campainha da minha casa e quando fui atender, fiquei feliz em saber que era o Ralph. O Ralph é o meu melhor amigo, alguém em que eu posso confiar, mesmo porque nós nos conhecemos desde pequenos. Então antes que eu dissesse qualquer coisa, ele se antecipou me dizendo que queria me dar um presente e, me disse ainda que o presente seria um bom amigo. Foi aí que quando rasguei o papel de presente é que eu pude notar que o tal amigo era um livro, que por sinal, era um ótimo livro. O nome do livro chama-se “O livro dos jovens”. Já li um bom pedaço dele e tem uma parte que fala sobre os bons amigos. Eu vou citar alguns trechos que fazem todo o sentido pra mim, é mais ou menos assim:  “Os bons amigos acreditam em nós. E só pelo fato de sabermos que existem neste mundo pessoas que acreditam em nós, sentimo-nos repletos de coragem. “Tem outro trecho que fala assim: “ter amigos sinceros, alegres e otimistas, vale muito mais do que possuir grandes fortunas e tesouros. A alegria e o otimismo desses amigos exercem influência sobre nós e nos dão coragem e esperança”. Citando esses trechos, parece até que eu estou falando do meu amigo Ralph. Parece estranho, mas não é mentira, eu sempre tive mais intimidade com Ralph do que com Laura. A Laura é tipo assim, como vou dizer... Antes de ser minha amiga ela é mulher e, sendo mulher, sempre tem algo que uma não gosta na outra. Já com o Ralph é algo espontâneo, é engraçado, nós temos tanta intimidade e tanta sintonia que às vezes ele chega a ouvir meus pensamentos à distância. Por isso vou citar mais um trecho que resume o valor de uma amizade: “os verdadeiros amigos, são aqueles que entendem nossos pensamentos e sentimentos, mesmo quando não os expressamos através de palavras; são aqueles cuja companhia é suficiente para que se estabeleça logo um perfeito entrosamento de almas. São aqueles que aumentam a nossa capacidade, unindo a sua a nossa, e possibilitando-nos realizar coisas que nós próprios jugamos impossíveis de realizar”.  Como eu disse a amizade que tenho com Ralph é isso, é a nossa cumplicidade, pois tudo que falta em mim ele preenche, e vice e  versa, nós nos completamos.
Esse meu pequeno diário é apenas para me lembrar de tudo o que eu vivi, tudo o que estou vivendo e tudo o que eu vou viver. Também é para constatar que tudo o que eu sou e tudo o que eu serei não vai mudar o meu “eu”, a minha essência, a minha originalidade. Jamais vouperder a esperança nas pessoas,deixar de ser verdadeira, amiga e acima de tudo, respeitar a individualidade de cada um. Talvez esse algo especial que eu senti quando me acordei, foi apenas para me lembrar o valor de uma amizade e que amigos são para sempre. Se algo der errado, devemos voltar e consertar o erro para que sua vida no futuro não haja lacunas que possam se tornar um vazio, que você jamais possa preencher novamente.
Cairê Barcelos