quinta-feira, 22 de outubro de 2015

" QUANDO O MEDO IMPERA, TUDO FICA INCERTO "(parte ll)

 Arrisco a dizer que talvez não tenha sido apenas parcialmente culpa minha e sim, total, pois se eu tivesse me declarado muito antes, a nossa amizade não se abalaria e não teria deixado de ser algo especial, contudo, eu continuaria sendo o seu grande amigo. No entanto, é mais fácil você sair na chuva atras daquele que fez e te faz sofrer, do que dar uma chance para aquele que sempre te deu abrigo. Por tudo isso, não vou conter a minha raiva, nem tão pouco esconder a minha decepção, não quero me privar de mais nada, não vou te dizer palavras bonitas mostrando que nada disso me abalou, não vou te desejar sorte, pois hipocrisia não faz parte da minha convicção, na verdade, eu quero e espero que você sofra, que quebre a cara, que se dê muito mal, que sofra de uma maneira que não queira mais saber de ninguém e que sinta muita dor ao lembrar do seu passado, e se ainda houver algum resquício de amor e tente recordar alguém, quero ver você sofrer mais ainda por não ter me dado chance alguma e só pensar em mim nas horas que lhe convir. Não te perdoo nem tão pouco a mim, por ter me condenado a alguém que sequer notou que a pessoa que estava o tempo todo ao seu lado, foi a única pessoa que realmente verdadeiramente à amou...       " as vezes deixamos de lado os nossos sentimentos por receio, e por intermédio desse medo, deixamos de viver um grande amor, uma paixão ou até mesmo, uma grande aventura que servirá de aprendizado para um futuro que nos espera ansiosamente ".




Autor: Caire barcelos